segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Você


Vou me libertar dessa prisão, desse romance ruim
Eu vou me apaixonar novamente
Irei te esquecer finalmente
Não aguento mais tanta fossa
Tanta dor de cotovelo sem propósito
Vou acordar para a vida
Tentarei de novo
O que você quer mesmo é me ver sofrer?
Mas agora chega, não dá mais pra continuar assim
Não nego que quero sim seu romance ruim
Quero seu tudo
Quero seu cinismo
Quero tua infantilidade, teu riso sem juízo
Tuas doenças, tuas frescuras, teu fogo
Mesmo não sendo de graça, eu encaro o preço
Você é um perigo e deve ser por isso que me apaixonei
Engula tua repulsa num coquetel a base de tua promiscuidade
O que você me deixou
Desde que você foi embora meus atos são efêmeros
Uso e sou usado, já me satisfiz por tão pouco
Aproveitando antes da tragédia não é?
É isso que você faz, isso que me deixou
Ainda quero o seu drama fantasioso
O toque malicioso da tua mão
Quero o teu beijo impreguinado de nicotina, meu vicio
Quero teu surdo-mudo-amor
Você sabe que te quero e preciso de você
E você é tão sujo por isso
Tua presença me enoja me causa asco
Tua fala quase inaudível, tua classe de prostituta ao fumar
Como pode isso, por que percorre tanto meus escritos, meus pensamentos, minha vida
Fico imaginando se não tivesse te deixado ir
Ou pelo menos lutado, justificado, ouvido as desculpas esfarrapadas
Se tivéssemos continuado escrevendo esse romance ruim
Acho que nunca saberemos
E você continua habitando em mim acordado e nos meus sonhos
Você é um criminoso que me destruiu, me arrasou
Que impôs seu lugar em mim e vai ser difícil de alguém tomá-lo
Mas eu vou amar novamente, mais forte ainda
Apesar do meu coração quebrado
Podendo levar uma vida inteira
Eu amarei novamente, mais forte ainda
Vou procurar de deixar de fora dos meus escritos
Se assim for possível, se conseguir calar meus dedos
Eu me prometo amar novamente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário